AMEG Página Inicial

NOTÍCIAS


09-11-2017

Ameg realiza Assembleia Geral em Carmo do Rio Claro






A Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande - AMEG, realiza nesta sexta-feira (10) sua 161ª Assembleia Geral Ordinária no município de Carmo do Rio Claro. A AGO acontece a partir das 10h no Plenário Francisco Soares da Silva (Plenário da Câmara Municipal) à Rua Monsenhor Mário Araújo Guimarães, 365. Pela importância do evento são esperados prefeitos, vice-prefeitos, procuradores, controladores, secretários de educação, vereadores, entre outros interessados.

Em pauta "A Relação do Ministério Público com as Prefeituras", tendo como facilitador o Promotor de Justiça da Comarca de Carmo do Rio Claro, Cristiano Cassiolato.

Outro assunto a ser apresentado na assembleia será "Os desafios do transporte escolar rural: Sistema TRANSCOLAR RURAL". Neste caso o palestrante será o Professor Nilson Tadeu Ramos Nunes, coordenador Geral do Sistema Transcolar Rural.

O Sistema Transcolar Rural, que otimiza rotas e custos de viagens diárias de estudantes da zona rural, foi desenvolvido por professores e alunos de graduação e pós-graduação sob a coordenação do Departamento de Transportes e Geotecnia (ETG) da Escola de Engenharia e participação de unidades da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Já testado em alguns municípios mineiros e em praticamente todo o Estado do Espírito Santo, o sistema permitiu uma economia de até 50% dos gastos com este tipo de transporte de estudantes.  

A aplicação do sistema começou pelos municípios mineiros, mas o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) interrompeu repasses, e o governo do Espírito Santo financiou a conclusão do projeto. O Transcolar Rural funciona hoje em 76 dos 78 municípios capixabas. Em Minas, as cidades de Bom Despacho, Pará de Minas e Esmeraldas garantiram adesão, e há estudos adiantados para outros 147 municípios.

De acordo com os coordenadores, se o projeto voltar a receber recursos federais, o sistema será cedido sem custos aos municípios. Se não, é cobrada taxa de implantação para auxiliar o município a organizar e tratar a informação necessária para o sistema. Em ambos os casos, o sistema é gratuito.








VOLTAR